UM ANO APÓS O BIG CHOP | CANAL DA CRESPA

Olá, ser Encrespado! Hoje comemoro meu primeiro aniversário de corte de cabelo! E aí, um ano após o Big Chop, o que mudou? Pffff… Veja com seus próprios olhos no vídeo abaixo:

 

 

E eu já deixo enegrecido aqui que eu não fiz nenhum tratamento maluco ou passei produto veterinário pro cabelo crescer não! Isso é amor e muito cuidado! Você também pode, é só ir e fazer!

Esse texto é um ‘geralzão’ do que foi o meu 1º ano e espero que possa inspirar alguém!

Assim que eu saí do salão de beleza, eu fui atingida por uma energia de renovação incrível!!! Mas que durou exatos dois dias… Hoje eu dou risada, mas só de lembrar que no dia seguinte eu sairia da minha “caverna” para encarar o trabalho com o crespo natural e curto foi DESESPERADOR! Nessa hora, minha família (a.k.a. Maridão) entrou em ação e me deu aquela força!

"Esse aí é meu parceiro, fecha comigo e não deixa a peteca cair!" Seu Jorge.
“Esse aí é meu parceiro, fecha comigo e não deixa a peteca cair!” Seu Jorge.

É muito importante que você tenha perto de ti pessoas que te apoiam e, quem não tá pra somar, monamú, elimina da sua vida. E assim eu consegui força para encarar a sociedade, que é travestida com uma viseira: a viseira do padrão. Se você é como eu, fora do padrão, você incomoda as pessoas. Você as toca, de um jeito ruim ou não.

Eu, assim que entrei no escritório, fui bem recebida pelo meu chefe, que disse que meu crespo estava bonito. Até aí, ótimo! Aí eu entrei no convívio social: a hora do cafezinho na copa e aí eu pude ver o olhar das pessoas: umas nem repararam direito, outras arregalaram seus olhos, outras olharam para mim e disseram, atônitas: “Luana, você rapelou seu cabelo? Ah, não!”. Essa hora eu nem sei como que as palavras saíram da minha boca, porque a insegurança estava gigantesca, mas respondi com um sorriso e a seguinte frase: “relaxa, que cabelo cresce!” 🙂

IMG_4485

E eu repeti isso como um mantra para poder responder às pessoas que criticaram, olharam feio, àquelas coisas. Daí eu decidi que não ia mais encanar com tamanho de cabelo, pois existem milhares de pretas de crespo curto que arrasam e eu seria uma delas! Tanto que voltei no mês seguinte no salão e cortei mais pontas lisas, que estavam incomodando.

E aí fui me blindando e me preenchendo de auto-estima e auto-aceitação. Eu não sabia como o crespo cresceria. Sabia que seria crespo, pois na infância era assim, então a partir daquele momento eu comecei a me agarrar em referências de mulheres crespas e aí ficou muito mais fácil gerenciar as expectativas. Quando a gente começa a idealizar um cabelo cacheado padrão, a gente se frustra com o crespo que carregamos na cabeça e cedemos mais uma vez à alisantes, relaxantes… É como andar no ‘trem da transição capilar’ só que olhando para uma janelinha diferente. Olhando para a janela das mulheres e homens crespos que – mesmo invisibilizados pela mídia, arrasam! Experimenta fazer isso, trocar de referências, sua vida vai mudar! Se não mudar, devolvemos seu dinheiro, SQN. Hahahaha.

E aí o crespo-maravilha foi crescendo e a construção da auto-estima, aceitação, negritude, também! Aí eu comecei também a olhar outras diferenças que eu tinha, como ser gorda e aí a vida deu um salto! “Nossa, quem é essa Luana que eu estou vendo no espelho?”

Um mês desde o Big Chop, ainda com algumas pontinhas para cortar! Mas cheia de auto-aceitação!
Um mês desde o Big Chop, ainda com algumas pontinhas para cortar! Mas cheia de auto-aceitação!

 

Comecei a pesquisar métodos fáceis e menos invasivos para manter o crespo sempre saudável e, para compartilhar essas informações eu criei o Canal da Crespa, que hoje ajuda mais de 4 mil pessoas! Não poderia estar mais feliz e grata!

Com cinco, seis meses de Crespo, eu já estava craque em cuidados com o cabelo e aí foi aí que meu cérebro me tirou da zona de conforto, pois comecei a ver que meu crespo estava nascendo com muitos cachos. Seria eu cacheada? Ou seria eu Crespa? “Ser ou não ser, eis a questão…”

 

'Nera crespa, nera?!'
‘Nera crespa, nera?!’

Vixe… Que conflito! “Criei um canal para as pessoas se aceitarem enquanto crespas e aí nasce um monte de cachinho, como assim?” Comecei a entrar num loop mental conflituoso, pensando que eu pudesse ser uma fraude para minhas leitoras! Aí ampliei as minhas pesquisas e vi que sim, existem crespos que não fazem tantas curvas quanto o meu, mas que mesmo o meu tento muitos cachinhos ele é crespo. Eu sofro com fator encolhimento, tenho diversas texturas na cabeça, necessito de cuidados, fibra capilar áspera e ressecada naturalmente. É crespo! Sou crespa! E defenderei as minhas crespas com toda a força e projeção que este Canal possa ter um dia!

E aí eu comecei a responder minhas amigas leitoras e dar dicas para cabelos (e mentes) mais saudáveis.

Hoje, um ano depois, eu digo que sim, cabelo cresce – então relaxa! Aproveite esse crescimento e amplie para todas as esferas da sua vida.

Repita comigo: relaxa, cabelo cresce... auumm...
Repita comigo: relaxa, cabelo cresce… auumm…

 

E se você, que está lendo esse post e não quer deixar o cabelo natural, saiba que tudo bem não querer mudar! Você é livre pra fazer o que quiser, assim como eu. Tem coisa melhor do que ser livre? NÃO TEM! 🙂

Espero de coração que esse texto ajude alguém. Sou grata à todas as pessoas que direta ou indiretamente me deram a maior força para que eu seguisse ciente e feliz com as minhas escolhas!

Beijos crespos,

-Naza

Você também pode gostar